O Serviço Integral de Atendimento às Mulheres e suas Crianças: Amor de Tia da zona Sudeste da capital começou a funcionar nesta segunda-feira, 10 de setembro, no Alto da Ressurreição. O local ainda conta com vagas para atender mães em situação de vulnerabilidade social e violência doméstica e acolher suas crianças. A unidade da zona Sudeste é ainda maior que a localizada no Matadouro e tem capacidade de atender até 100 crianças e suas mães.

Segundo a secretária municipal da Mulher, Macilane Gomes, as mulheres podem ter acesso ao serviço por meio do Centro de Referência da Mulher em situação de Violência Esperança Garcia ou pelo CRAS Sudeste. “Esperamos que as mulheres possam ser empoderadas pelo acesso à informação, pelo acolhimento e inclusão produtiva, assim como as crianças terão um atendimento especializado no que toca à recreação e a um trabalho psicológico e social de desconstrução dessas marcas de violência”, explicou.

No Amor de Tia as crianças ficam durante um turno – manhã ou tarde – enquanto as mães podem estudar ou trabalhar. Elas também terão acesso à cursos de qualificação. Heloísa Barroso, mãe da Maria Valentina, de 2 anos e 3 meses, moradora do bairro Frei Damião, ficou satisfeita com a chegada do serviço à região. “Espero conseguir procurar um serviço ou fazer um curso. Eu já estudo e agora vai ficar mais simples para eu e meu marido procurarmos um trabalho”, afirmou.

Evanda de Sousa levou a Geovanna, de 2 anos e 3 meses, cheia de ansiedade. “Eu quero fazer um curso, trabalhar. Quero aproveitar todos os cursos que o Amor de Tia oferecer. Além disso, a Geovanna vai aprender a conviver com os pequenos da idade dela, e isso é ótimo”, pontuou.