Não Te Dei Liberdade: Câmara Técnica discute assédio e Plano Municipal

Na manhã desta terça-feira (12) aconteceu a terceira reunião do ano da Câmara Técnica de Políticas Públicas para Mulheres de Teresina, composta por todas as secretarias da Prefeitura. No encontro, foram discutidos o monitoramento do Plano Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, e a Campanha “Não te Dei Liberdade”, que visa diminuir o assédio na cidade de Teresina.

Após estudo, a pós-doutora em gênero, Wânia Pasinato, fez novos indicadores para o Plano Municipal, facilitando o monitoramento. “Fizemos a replicação desses indicadores para que as secretarias possam mandar os seus dados e nós possamos monitorar como o andamento do Plano está acontecendo”, afirmou Lisian Oliveira, gerente de Articulação e Transversalidade da SMPM.

A segunda pauta destacou a campanha “Não te dei liberdade” que busca discutir de forma ampla o assédio moral, importunação sexual e difamação. “Abordamos esses temas e como esses técnicos podem fazer para replicar junto às suas secretarias formas de enfrentamento, principalmente, indicar os lugares que as mulheres que são importunadas ou sofrem qualquer tipo de violência possam procurar ajuda ou o sistema de justiça”, concluiu Lisian.

O Plano Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres foi revisado e tem oito eixos, 39 linhas de ação e 194 ações previstas e funciona como um instrumento de gestão relacionado à saúde, educação, cultura e lazer das mulheres.

Eventos em homenagem às mulheres marcam o dia 8 de março em Teresina

No Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta sexta-feira (08), o Prefeito de Teresina, Firmino Filho, se reuniu com mulheres de diversas áreas para ouvir suas demandas durante audiência na sede da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres.Também foi lançada a Agenda Março Mulher 2019 e a Campanha “Não Te Dei Liberdade”, além da comemoração do aniversário de quatro anos de criação do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG).

“É uma alegria muito grande receber em audiência todo o movimento de mulheres. A pauta busca trazer os grandes desafios das mulheres no presente, que as políticas sociais sirvam às mulheres de forma mais qualificada, temos o desafio de fazer com que as mulheres possam ter mais oportunidades, desafio de fazer com que possa existir mais respeito. Portanto, para nós, é um momento de saudar as mulheres por toda a sua história, por toda a sua luta, mas também é um momento para refletir e ver as dificuldades que ainda restam para ser enfrentadas”, salientou Firmino.

A Agenda Março Mulher 2019 foi marcada pelo lançamento da Campanha “Não Te Dei Liberdade”, que procura informar sobre os diversos tipos de assédio que as mulheres sofrem, seja na rua, no trabalho, no transporte público ou nas festas. Desse modo, as atividades da Agenda vão tratar o tema.

“A Agenda é construída com ações da SMPM, da rede de enfrentamento à violência e demais segmentos da sociedade. Esse ano, em nossas atividades, falaremos sobre o assédio. É aquele psiu que incomoda, a agressão travestida de elogio, o olhar penetrante que deixa a mulher exposta. O fato de usar um shortinho ou estar em um ambiente público de diversão não significa que você está dando liberdade para um assédio. Aquilo que importuna, incomoda a mulher, vira assédio”, afirmou a secretária municipal de Políticas Públicas para Mulheres, Macilane Gomes.

A representante do Banco Mundial, Ana Luísa Lima, apresentou o projeto “Vamos!”, que visa diminuir a desigualdade de gênero e relações de poder e alterar as normas sociais e comportamentos permissíveis à violência contra a mulher.

“Hoje é um dia muito importante para a parceria. Nessa luta, para essa causa, todos somos um pouco especialistas de gênero, todos temos um papel importante na promoção da igualdade de gênero. Minha mensagem é apenas para confirmar que a questão da violência não é uma questão privada, é uma questão de saúde pública, global, afeta não somente vidas individuais como toda a sociedade”, explicou Ana Luísa.

No aniversário do CREG, que atende mulheres em situação de violência, a coordenadora Roberta Mara, relembrou que Teresina é uma capital que possui um diagnóstico da violência, em que foi dado visibilidade ao que precisa ser feito. “Assim a PMT, através da SMPM, em parceria com ASA, vem implementando a política pública para mulheres, notoriamente, aqui no CREG, superando desafios, driblando a crise, honrando a gestão participativa, cooptando e empoderando as mulheres que aqui vem. Valorizamos cada pedacinho desse espaço, que não parece público, mas é, que acolhe a mulher, não julga pelas suas escolhas”, finalizou Roberta.

SMPM lança Agenda Março Mulher 2019 e realiza Audiência Mulheres com prefeito

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres lança, na próxima sexta-feira (08), a Agenda Março Mulher 2019 e comemora os 4 anos do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG). O evento acontecerá no CREG, localizado na Rua Benjamin Constant, 2170, às 9h. No mesmo dia, às 11h30, o prefeito de Teresina, Firmino Filho, recebe mulheres em audiência no Salão Nobre do Palácio da Cidade.

A Agenda Março Mulher 2019 traz como tema o assédio por meio da Campanha “Não te dei liberdade”, que também será explicada na ocasião. O CREG foi escolhido por ser um espaço que acompanha mulheres em situação de violência com acolhimento psicossocial e jurídico em um ambiente totalmente preparado para recebê-las. Também estarão presentes a rede de atendimento às mulheres em situação de violência e o Conselho Municipal do Direito da Mulher de Teresina.

“Março é um mês simbólico, de reinvindicação, de luta, de reflexão, de fortalecimento sobre as políticas públicas para mulheres. É um mês histórico, alusivo a data de 8 de março, mas a SMPM, considerando a sua natureza de articulação e fomento e canal de diálogo, vai realizar uma série de atividades em parceria com as secretarias municipais, sociedade civil e rede de atendimento à mulher, desenvolvendo rodas de conversas, palestras, diálogos com os diversos seguimentos. Este ano focaremos em um tema que é muito importante para nós mulheres, que é o assédio”, pontuou a secretária da SMPM, Macilane Gomes.

Na Audiência Mulheres com o prefeito Firmino Filho representantes de diversas entidades colocarão suas demandas para o gestor e a representante do Banco Mundial, Ana Luiza Gomes, apresentará as parcerias com o Governo do Piauí e da Prefeitura Municipal.

Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes reúne órgãos de Teresina e região metropolitana

Com temática voltada para o empoderamento da mulher aconteceu em Teresina a reunião do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) que abordou sobre Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes. Participaram a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e a Câmara Técnica dos Direitos da Mulher na manhã de quarta-feira (30).

Também estavam presentes organismos de políticas públicas de Teresina, Demerval Lobão, Timon, Nazária e José de Freitas sobre o programa Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes.

O programa tem como objetivo desenvolver atividades voltadas para o empoderamento econômico das mulheres piauienses como revela a gerente de articulação e transversalidade da SMPM, Lisian Oliveira. “Esses municípios foram escolhidos porque participam da rede de desenvolvimento econômico do território entre rios e almejamos que as mulheres tenham empoderamento, construindo respostas eficientes ao desafio que é a inclusão econômica dentro do mercado formal de trabalho. Esperamos que os próximos meses sejam de muito trabalho”, revelou.

Desse modo, o programa Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes pretende promover a autonomia financeira de mulheres de 18 a 29 anos, por serem as que mais sofrem mortalidade materna e são as maiores vítimas de feminicídio. Com mulheres autônomas e mais resistentes à crises, o território também ganha, inclusive com a diminuição da pobreza.

Essa experiência voltada ao gênero na região metropolitana de Teresina será a primeira da América Latina e durante os próximos meses, as atividades desenvolvidas pelo PNUD Brasil em parceria com os órgãos municipais e estaduais serão baseadas na metodologia combo, que se aplica atividades multidimensionais aos problemas, ao invés de intervenções fragmentadas que geralmente são aplicadas nesses casos.

A metodologia combo consiste na elaboração e aplicação de ferramentas para diagnósticos dos problemas no nível municipal, identificação e desenho de intervenções aceleradoras do alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos municípios, elaboração de plano de trabalho e estratégia de mobilização de recursos para implementação das ações de gênero em nível municipal, fortalecimento das capacidades dos municípios para integrar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nos documentos de planejamento e orçamento locais e no desenvolvimento de um protótipo para monitoramento online da implementação das ações planejadas.

Sexualidade é tema de conversa com mulheres em situação de violência

Sofrer uma violência pode afetar a sexualidade de uma mulher. Pensando nisso, o Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) levou na manhã desta quinta-feira (31) a sexóloga e ginecologista Andrea Rufino para falar sobre saúde e sexualidade com as mulheres em situação de violência atendidas pela casa.

Para Andrea Rufino, é importante conhecer as mulheres, saber as demandas, dúvidas e o que mexe com elas quando o assunto é sexualidade. “É preciso saber qual a realidade delas, o que elas querem, quais curiosidades elas têm. E a partir disso ofertar conhecimento, uma reflexão sobre a sexualidade na vida delas, como é vivenciada”, explicou a sexóloga.

Durante o papo, Rufino desmistificou tabus e falou sobre a importância de conhecer o próprio corpo, inclusive como um meio de se empoderar. “Será que a sexualidade é vivenciada para dar prazer, satisfação, plenitude, ou é um veículo de sofrimento, submissão a um relacionamento que não faz mais sentido? Queremos ajudá-las a ter clareza de como fazer bom uso da sexualidade e como ela pode ser um veículo de empoderamento pessoal”, disse.

Segundo a psicóloga do CREG, Tanandra Borges, após sofrer uma violência, muitas mulheres se questionam sobre o seu papel enquanto mulher. “A sexualidade vai além do sexo e muitas vezes desenvolver isso é complicado após uma violência doméstica, muitas têm um bloqueio para novos relacionamentos. Muitas também entram em um novo relacionamento sem perceber que vivenciavam uma violência no relacionamento anterior e começam a reproduzir um novo ciclo de violência”, pontuou.

Tanandra ainda alertou que falar do tema é importante, pois você pode alertar a mulher de que ela vive uma violência sexual que muitas vezes ela nem percebe. “Como muitos agressores são parceiros íntimos, maridos, companheiros, namorados, tem uma relação que muitas vezes pode ser uma violência sexual velada”, finalizou a psicóloga.

Projetos certificam mais de 200 alunos de cursos profissionalizantes

Mais de 200 alunos dos projetos QualificaTur e Profissionalizar Mulher foram certificados na tarde de quarta-feira (30). A solenidade que aconteceu no auditório Paulo VI, na Frei Serafim, marcou a nova etapa que se inicia para os alunos concludentes. Juntos, os projetos ofertaram aos teresinenses 225 vagas em 9 cursos profissionalizantes nas áreas de atendimento, alimentação, beleza e mídias digitais. A solenidade foi marcada pela ampla participação dos alunos que encerraram os cursos ainda no fim do ano passado.

Representando o prefeito Firmino Filho, o secretário de governo Raimundo Eugenio destacou a qualificação profissional como um diferencial na prestação de serviços. “A cidade de Teresina tem vocação para prestação de serviços. Temos como vocação a educação e a saúde. Diariamente recebemos em nossa cidade pessoas vindas dos mais diversos cantos do Brasil. Os dois projetos que aqui estamos certificando mais de 200 pessoas vem pra colaborar para que continuemos a ter destaque pela boa prestação de serviços”, afirma.

“A Fundação Wall Ferraz tem uma preocupação muito grande em oferecer uma formação profissional de qualidade. E essa formação contempla o desenvolvimento de habilidades e competências da dimensão técnica, mas contempla também uma formação cidadã, onde as pessoas tem centralidade e são compreendidas na perspectiva de relação com o mundo do trabalho. Uma das dimensões que temos focado é o desenvolvimento de habilidades sociais, socioemocionais, hoje extremamente requisitado pelo mercado de trabalho”, pontua a presidente da Fundação Wall Ferraz, Samara Pereira.

QualificaTur

Desenvolvido desde 2014 em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC), o projeto QualificaTur já ofertou mais de 600 vagas em cursos profissionalizantes entre eles, recepcionista o serviço de hospedagem, garçom, culinária local e relações interpessoais. Em 2018 foram cem vagas nos cursos de condutor de turismo local, camareira, doces e trufas com identidade regional e organizador de eventos.

Para Eneas Barros, coordenador de turismo da SEMDEC, o projeto amplia a oportunidades de geração de emprego na capital e contribui para a melhoria do atendimento aos turistas que visitam Teresina. “Durante muito tempo se pensou o turismo apenas como uma atividade de lazer. Teresina é uma cidade de negócios e 92% das pessoas que visitam a cidade citam que nossa principal característica é hospitalidade. Então não podemos perder a chance de melhorar cada vez mais os nossos serviços e proporcionar boas experiências para quem nos visita”, diz.

Ana Beatriz , aluna do curso de Condutor de Turismo Local ressaltou sua alegria em participar do projeto e destacou que já está trabalhando na área. “A formação que recebemos foi fundamental para que eu adquirisse mais conhecimentos e os colocasse em prática atuando agora como condutora de turismo. Espero que esses projetos continuem sendo realizados e ofereçam mais expectativa para a população”, disse.

A secretária executiva da SMPM, Celina Tourinho, parabenizou as novas profissionais e falou sobre os novos passos. “A minha palavra é de parabéns a cada mulher que visitamos nos cursos, a cada mulher guerreira que tinha dificuldade até para chegar ao local do curso, dificuldade de horário, de não ter com quem deixar o filho. Nós mulheres, somos sempre indagadas, questionadas, mas as que estão se certificando hoje tem certeza que estão no caminho das melhores. Agora vamos trabalhar com vocês o empreendedorismo. Capacitadas vocês já estão, mas queremos desenvolver pessoas. Vocês podem trabalhar em algum lugar, mas também podem empreender, usar o material da melhor maneira, comprar, atender da melhor forma”, explicou Celina.

“Começamos o curso com as disciplinas socioprofissionais, mais teóricas. Somente depois iniciamos a parte prática, o que foi de grande importância para nós alunos porque nós saímos de lá preparados não apenas para o exercer uma profissão mas preparadas para a vida”, disse Lara juliana, aluna do curso de manicure e pedicure, ofertado pelo Profissionalizar Mulher no Centro de Capacitação do Parque Brasil.

O Profissionalizar Mulher, realizado desde 2013 em parceria com a SMPM, oferece para as mulheres teresinenses oportunidades de crescimento pessoal e profissional. Com os cursos gratuitos de profissionalização as mulheres beneficiadas tem a chance de aprender uma profissão, se inserir no mercado de trabalho formal ou desenvolver atividades autônomas que favorecem a autonomia financeira. Os cursos ofertados foram de Salgadeira, Corte de Cabelo e escova, Manicure e Pedicure, Eletricista Predial e Marketing em Mídias Sociais. Um dos diferencias da última etapa do projeto foi a oferta de 25% das vagas para mulheres em situação de vulnerabilidade e risco social atendidas pela Rede de Enfrentamento à Violência em Teresina.

Todos os cursos ofertados pela Fundação Wall Ferraz são gratuitos e garantem capacitação de qualidade aos teresinenses, principalmente jovens e adultos de baixa renda, fomentando a inclusão socioprodutiva, geração de renda e melhoria de qualidade de vida.

Campanha Marcas da Alegria percorre Carnaval de Teresina sensibilizando sobre violência contra a mulher

“Que as únicas marcas nesse carnaval sejam de alegria” é o tema da campanha “Marcas da Alegria”, relançada pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM). A campanha, que está em atividade desde 2014, percorrerá as prévias carnavalescas, o corso e a programação durante o carnaval, alertando sobre a importância do enfrentamento à violência contra a mulher, por meio de sensibilização e distribuição de material educativo.

Na noite desta terça-feira (29) foi realizada a primeira ação educativa durante a escolha do Rei e Rainha da pessoa com deficiência do carnaval de Teresina. “Nós visamos sensibilizar as pessoas pela prevenção à violência contra a mulher, porque se percebe que no período das festas carnavalescas o número de denúncias no 180 sempre cresce”, alerta Lidiane Oliveira, gerente de enfrentamento à violência da SMPM.

“Temos o intuito também de divulgar o Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência Esperança Garcia, para que as mulheres utilizem esse serviço caso tenham a necessidade de atendimento psicológico, social ou jurídico”, concluiu Lidiane.

O Centro de Referência Esperança Garcia funciona das 8h às 14h, na Rua Benjamin Constant, nº 2170, oferecendo atendimento jurídico, social e psicológico para mulheres em situação de violência. Mais informações podem ser obtidas pelo número (86) 3233-3798.

Teresina desenvolverá projeto inédito de políticas públicas de gênero

Representantes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) apresentaram, no final da tarde desta quarta-feira (16), ao prefeito Firmino Filho e às gestoras da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), Marcilane Gomes e Celina Tourinho, a proposta de um projeto inédito de desenvolvimento de políticas públicas na perspectiva de gênero.

“Estamos implantando na Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE) da Grande Teresina, no projeto ‘Mulheres Resilientes = Cidades Resilientes’, uma metodologia chamada Combo, que aborda problemas sociais através de um olhar mais complexo. O PNUD identificou uma necessidade de empoderamento das mulheres jovens na região e vai trabalhar nisso”, afirmou Ismália Afonso, oficial de gênero e raça do escritório do PNUD no Brasil.

O PNUD fará a entrega de um projeto com intervenções que devem ser incorporadas pelos órgãos públicos para fomentar as políticas públicas voltadas para as mulheres.

Serão trabalhadas cinco áreas: educação para o trabalho e inclusão produtiva; enfrentamento à violência contra as mulheres; promoção da saúde das mulheres; melhoria da transversalidade de gênero nos equipamentos públicos; políticas de cuidados para redução da sobrecarga de responsabilidades concentradas nas mulheres.

Firmino Filho afirmou que a Prefeitura de Teresina apoiará o projeto. “Nós estamos estruturando a Secretaria da Mulher para deixar consequências permanentes do trabalho. Essa parceria é interessante para  garantir a longevidade do que for realizado. Será um prazer começar a iniciativa aqui na capital para, no futuro, servir de modelo para todo o país”, disse.

“A gente vê o quanto é importante trabalhar as políticas de gênero, que não impactam só as vidas das mulheres, mas de toda sociedade, de desenvolvimento econômico e social da cidade de igualdade superar essa desigualdade. É uma honra ver uma instituição internacional reconhecendo o trabalho que é realizado em Teresina”, finalizou Marcilane Gomes, secretária da SMPM.

Mulheres em situação de violência recebem massagem relaxante

As mulheres do Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) começaram a participar do Projeto Florescer Mulher, que leva Terapias Integrativas e Complementares às mulheres em situação de violência atendidas pelo serviço.

Na manhã de hoje (15), Lúcia* foi a primeira a participar. Saiu da sessão com a psicóloga direto para uma massagem relaxante. “As terapias fazem a gente se sentir renovada na alma e no corpo. Chegamos aqui nos sentindo para baixo e saímos bem melhor. Eu me sinto bem”, contou.

A terapeuta holística Janaína Barros é quem vai realizar as sessões. Segundo ela, o reiki, massagem relaxante, escalda pés, argila e aromaterapia são benéficos para o corpo e mente, pois aliviam o estresse, melhoram a circulação sanguínea e externam dores escondidas, além de promover o cuidado com a mulher. “Vamos trabalhar o toque, uma forma de estimular essas dores que ficam somatizadas no corpo, mente e espírito. Elas acham que não são merecedoras de cuidado. É uma forma de movimentar o corpo, dando o toque do amor, trabalhando a autoestima dessas mulheres”, explica.

O CREG oferece atendimento psicológico, social e jurídico para as mulheres em situação de violência em Teresina, por meio de uma equipe multidisciplinar. Além disso, as mulheres participam de diversas atividades, como massoterapia, cinema, corte de cabelo e grupos de reflexão, para se fortalecerem e melhorarem sua autoestima. O funcionamento do Centro é de segunda a sexta, de 8 às 14 hrs, na Rua Benjamin Constant, 2170. Mais informações pelo número (86) 3233-3798.

 

Lúcia* é um nome fictício.

 

Inscrições para Selo Dona Saló são prorrogadas até 21 de janeiro

As inscrições para o “Selo Dona Saló – Empresa Promotora da Igualdade de Gênero” foram prorrogadas até o dia 21 de janeiro de 2019. A iniciativa é da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Turismo (SEMDEC) e visa certificar as empresas privadas localizadas em Teresina que atuam ou estabeleçam projetos, programas ou ações em prol da igualdade de gênero.

Segundo a gerente de autonomia produtiva da SMPM, Lannusy Almeida, o selo foi criado para que o poder público reconheça empresas que promovam oportunidades iguais entre homens e mulheres nas relações de trabalho. “Assim, pretendemos diminuir o preconceito e discriminação contra a mulher, oferecendo a elas um ambiente de trabalho com qualidade de vida”, afirmou.

As inscrições podem ser feitas pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSc05N9POeI-Gu59pYDgonQLt7rOwqJUX8w3TyhsSoOpBC4MvQ/viewform. Mais informações nos sites http://smpm.teresina.pi.gov.br/ e http://semdec.teresina.pi.gov.br/.

Após as inscrições, as empresas terão até o dia 31 de janeiro para cumprir a segunda etapa do processo, que é a apresentação das ações realizadas na área de enfrentamento à violência contra a mulher, valorização da mulher no ambiente de trabalho. As empresas precisam praticar a Responsabilidade Social: empregabilidade e liderança de mulheres, igualdade salarial; saúde e qualidade de vida; educação e prevenção à violência.

VEJA ALTERAÇÕES DO REGULAMENTO DO SELO DONA SALÓ