Os serviços mantidos pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência Esperança Garcia (CREG) e Amor de Tia das regiões Norte e Sudeste, receberam nesta quarta-feira (03) a visita da juíza do juizado Maria da Penha, Ana Lúcia Terto, da psicóloga do Tribunal de Justiça, Aline Abreu, da delegada diretora do departamento estadual de proteção à mulher, Thaís Paz, e da cabeleireira Sílvia Menezes.

A cabeleireira Sílvia Menezes, do salão Sílvia’s Hair, apresentou a campanha “Beleza Solidária” para que as mulheres em situação de violência atendidas possam mudar de visual e ainda doar o cabelo às mulheres com câncer durante o Outubro Rosa. A empresária também firmou parceria com a SMPM oferecendo um dia de beleza ao CREG.

“É muito importante que toda a rede de enfrentamento à violência esteja integrada e conheça todos os mecanismos que auxiliam a mulher. Dessa forma, o fluxo de atendimento funciona bem e a mulher consegue sair do ciclo de violência de forma mais rápida e eficiente. A presença do Tribunal de Justiça e da delegacia no Centro de Referência e nos Amores de Tia só vem a acrescentar à nossa experiência exitosa”, reflete.

A juíza Ana Lúcia Terto afirmou que ficou satisfeita com o trabalho feito pela SMPM. “Queríamos saber como estava a situação das famílias, das mulheres e seus filhos, como era a assistência dada pelo município. Nós chegamos aqui e ficamos surpreendidas, pois realmente o trabalho é fantástico, é muito acima da imaginação. Saio daqui realmente emocionada. Eu vejo que o trabalho da Prefeitura é muito bom. Teresina está de parabéns, não perde em relação a nenhuma cidade”, comemorou.

Para a delegada Thaís Paz, a parceria da rede de enfrentamento à violência só tende a crescer. “Nós temos um sonho, que é implantarmos um serviço complexo de atendimento à mulher no município de Teresina, que vai abranger tanto a assistência social, quanto a Secretaria da Mulher, Secretaria de Segurança, Tribunal de Justiça, Defensoria Pública e Ministério Público”, explicou.