A Prefeitura de Teresina acumula mais um destaque em um de seus serviços. O Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia foi o grande vencedor da categoria Governamental do prêmio Piauí de Inclusão Social, que teve sua décima terceira edição realizada na noite de ontem (25), no Blue Tree Towers Rio Poty Hotel. O prêmio é uma realização do Grupo Meio Norte de Comunicação, em parceria com o Governo do Estado, e destaca os projetos, as ações e as instituições, públicas e privadas, que promovem a inclusão e outras estratégias que agregam ao bem comum.

Concorrendo com outros sete projetos, o Centro Esperança Garcia foi o vencedor na categoria Governamental. O serviço é mantido pela Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM), estando em atuação desde 2015, oferecendo acompanhamento psicológico, social e de orientação jurídica às mulheres em situação de violência. Além disso, proporciona atendimento necessário para a superação da violência, contribuindo para o fortalecimento das mulheres e para o resgate de sua cidadania.

Presente à solenidade de entrega do prêmio, a coordenadora do Centro, Roberta Mara, falou, com emoção, sobre a conquista. “Isso vem, de certa forma, nos impulsionar a continuar e melhorar cada vez mais o nosso serviço. Garantir o empoderamento da mulher e fazer com que ela rompa o ciclo de violência e venha a buscar ajuda, buscar os seus direitos”, disse.

Para a secretária Macilane Gomes, é mais um motivo de buscar fazer mais, divulgar mais o serviço, fazer com mulheres que ainda velam a violência pela qual estão passando, possam encontrar no Centro o local ideal para o seu recomeço. “É muito gratificante, enquanto gestão, receber esse prêmio. É um trabalho que vem sendo feito com bastante atenção e dedicação, por uma equipe multiprofissional, incansável na missão de garantir às mulheres o bem-estar que tanto procuram”, pontuou.

O Centro é também uma parceria com a Ação Social Arquidiocesana (ASA). Somente em 2017 foram quase 400 atendimentos às mulheres vítimas de violência, sendo 110 mulheres somente de primeiro atendimento, por demanda espontânea, por encaminhamento de órgãos da rede de atendimento ou por orientação. “Nesses dois anos do serviço temos tentado implantar ações voltadas para a defesa dos direitos da mulher, colocando como prioridade institucionalizar as políticas públicas para mulheres no município de Teresina”, enfatizou Macilane Gomes.

T.C.C.N., 40 anos, é uma das mulheres atendidas pelo Centro. Devido à situação de vulnerabilidade e de violência em que se encontra, terá sua identidade preservada, mas, fez questão de falar do quanto teve sua autoestima melhorada após descobrir o Centro e passar a ser atendida pela equipe multidisciplinar. Ela foi casada durante oito anos, sendo cinco deles passando pelas mais diversas formas de violência, iniciando pela psicológica e culminando na violência física. “Eu convivi oito anos com meu companheiro. Toda essa situação iniciou após o nascimento da nossa filha. Ele chegava em casa de madrugada e me agredia, sempre dando indícios de que aquilo evoluiria”, contou, emocionada.

T.C. disse que, em um certo dia, ele a agrediu fisicamente, com um soco no rosto. “Antes, eu não queria acreditar, denunciar, enxergar que aquilo, realmente, estava acontecendo. Mas, nesse dia, eu busquei ajuda, indo registrar meu primeiro boletim de ocorrência contra ele. Eu vivia em depressão constante, mas, depois que tive coragem de denunciá-lo, tudo começou a mudar”, enfatizou. T.C. está sendo acompanhada pela equipe do Centro, já tendo conseguido formalizar a separação e manter a guarda de sua filha, além de ter melhorado sua autoestima, estar mais focada em seus projetos pessoais e ter conseguido se distanciar do agressor.

Ela também comemorou a conquista do prêmio. “É mais que merecedor! Posso afirmar que esse serviço tem sido feito com muita dedicação e cuidado, pessoal e profissional. E reforço às mulheres que também passam pelo que passei: busquem ajuda. Aqui vocês serão muito bem atendidas”, finalizou.

There are no comments yet.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked (*).