“Mãe amor de tia é sempre amor de tia”. Esse é o ditado que circula nos corredores do Serviço Integral de Atendimento à Mulher e Suas Crianças. Prova disso é a Edilene Sampaio, que participou do serviço na unidade Matadouro, na zona Norte, em sua inauguração, em 2016, mas voltou durante essa semana para ministrar um curso de bolos decorados às novas usuárias.

Edilene é moradora do bairro Parque Alvorada e mãe do Kevin Klein, de 4 anos, que já está na CMEI. Durante o seu período no Amor de Tia ela fez cursos de decoração de balão, ovos de páscoa, trufas recheadas, cupcake, mas gostou mesmo dos bolos confeitados. Gostou tanto que se aperfeiçoou na técnica e hoje consegue extrair sua renda da atividade.

“Eu vim porque eu também tive a oportunidade, não paguei por isso, foi com todo o amor delas para querer ensinar a gente. Eu vim repassar um pouco do que eu aprendi. Através do Amor de Tia eu tive muitas oportunidades, conheci pessoas legais que abraçaram a mim e ao meu filho com muito carinho. Só tenho a agradecer cada oportunidade que eu tive aqui”, declarou a confeiteira.

Para a coordenadora do serviço na zona Norte, Adriana Carvalho, o Amor de Tia é uma grande família. “A mãe que participa do serviço continua sendo mãe amor de tia, mesmo que seus filhos vão para a CMEI. Elas têm muita consideração com as outras, querem ajudar. É esse empoderamento que queremos, que ensina que você deve ser amiga de outra mulher, ajudar, entender o problema da outra, querer ser feliz e que a outra mulher seja feliz também”, explicou.