Dados do diagnóstico da violência contra a mulher, realizado pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres, mostram um elevado número de situações de violência autoprovocada/auto infligida: 319 casos (41%), apontando a correlação entre violência autoprovocada e violência contra mulheres.

Pensando nisso, as mulheres do Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência Esperança Garcia (CREG) participaram, hoje, de mais uma atividade do Grupo Reflexivo. Dessa vez, a roda de conversa também contou com a presença da psiquiatra, psicóloga e assistente social do CAPS Leste 2.

As usuárias do serviço refletiram sobre a valorização da vida, como revela a psicóloga do Centro de Referência, Tanandra Borges. “Muito mais do que falar de suicídio, a atividade trouxe o valor da vida. Os motivos que nós temos para viver, a empatia, o olho no olho. Estamos trazendo essa reflexão de ser humano. Muito mais uma escuta que uma palestra”, explicou.

Ana*, usuária do CREG desde fevereiro, hoje concorda que atividades como essa são fundamentais para reconstrução da vida das mulheres atendidas. “Muitas vezes, o simples fato de você falar da sua experiência, falar o que está acontecendo, do seu problema e você ver que tem várias outras pessoas com problemas iguais ao que o seu, dá muita força”, reflete.