A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) realizou o seminário “Panoramas da situação da violência contra a mulher em Teresina”, no Teatro do Boi. O seminário teve por objetivo apresentar a sociedade os resultados obtidos no diagnóstico sobre a violência contra a mulher na capital piauiense e foi ministrado pela socióloga e pós-doutora em gênero Wânia Pasinato.

 

Durante a manhã, Pasinato apresentou o diagnóstico, fruto da parceria da SMPM com a Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN) e com o Banco Mundial. Ele é o primeiro do Brasil e irá subsidiar a qualificação da gestão de políticas públicas na cidade com escopo do enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher, que requer integração e articulação ampla de um conjunto de atores sociais e políticos para uma atuação efetiva em rede.

 

À tarde, a discussão foi sobre a organização das políticas públicas para o enfretamento a violência contra mulher por meio de um bate-papo com a doutora em Serviço Social e secretária executiva da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas, Mauricéia Carneiro; a mestra em Sociologia e presidente do Conselho dos Direitos da Mulher, Luciana Farias; a mestre em Ciências Sociais, Bárbara Johas; e as advogadas Karla Oliveira e Noélia Sampaio.

 

Elas falaram sobre os desafios políticos e institucionais para o enfrentamento à violência contra a mulher, controle social de políticas públicas, a política pública de enfrentamento a violência de gênero: avanços e desafios, formas de enfrentamento da violência doméstica e familiar no judiciário piauiense e emponderamento feminino como forma de fomentar de garantia dos Direitos Humanos da Mulher .

 

“Esse momento é ímpar, dada a importância de estarmos refletindo sobre dados, sobre esse panorama da violência contra a mulher em Teresina e de termos construído esse diálogo durante um ano com as diversas instituições que compõe a rede de enfrentamento à violência, para que pudéssemos refletir melhor sobre esse fenômeno que impacta a vida das mulheres. O diagnóstico vem como uma luva importante para que nosso espaço social e nossa missão institucional possa alterar o modo de contribuir com o rompimento do ciclo da violência”, afirmou a Secretária da Mulher, Macilane Gomes.